9 de nov de 2011

Jardim Gardenia Resid. Hortencia.

Olá a todos desculpem o tempo e a demora para novas postagem no blog, estivemos em períodos difíceis por aqui, nada foi amigável com a PDG, nossos imóveis estão sendo agora entregues, nossas vistorias foram um fracasso e nosso sonho vem reacendendo a chama de ter uma vida tranquila. Erradooooo claro que não iriamos sair ilesos depois de tanto sofrimento com a PDG, agora meus caros os transtornos vem pela falta de qualidade em tudo o que a empresa fez, instalações mal feitas, paredes horriveis, area comum uma porcaria, area de lazer quase não tem em nosso condomínio e pra completar o pacote ainda vem os temidos problemas com as fossas, algumas cederam outras foram reparadas antes que cedessem e por ai vai, bem esse é no minimo e resumido o que teremos que enfrentar pela frente.
Outro problema encontrado por nosso condomínio foi o prazo para a eleição do SINDICO. Tivemos um período de 5 minutos para nos decidir-mos a quem administraria nosso residencial, e mais uma vez não contamos com a sorte. Foi eleito um sindico, uma tesoureira e o corpo de conselheiros. o primeiro obstaculo que o condominio teve que superar foi a destituição do sindico eleito na primeira assembléia. O mesmo não agradou a massa tendo alguns desacertos com o resto dos moradores levando em conta que quisera administrar por si só, um fator muito importante para o sucesso de qualquer gestor e saber trabalhar em equipe, mesmo quando se encabeceia uma turma, uma comunidade ou um grupo, ou seja, esse fator faltou em nosso primeiro SINDICO, desde então o conselho tomou as devidas providencias para realocar a função.
Tendo em vista que o eleito a SINDICO também é morador e que o mesmo se portou de forma honrada e renunciou o cargo assumindo assim uma nova SINDICA a Sr.ª Dieyssa Rodrigues. E que seja de forma democrática e praticando a cumplicidades com seus colegas moradores do Resid. Hortência que você seja bem vinda e tenha muito sucesso em sua administração.
Obs: que você nunca seja uma arvore e que nós nunca sejamos os seus galho.

Em fim sejam todos Bem vindos a nossa nova casas, nossa nova vizinhança. me visitem levem um bolo pra mim que já já to morando ai!

Maiko Marques.

29 de set de 2011

Reclamações por atraso de entrega de imóveis aumentam no país

A construtora pode ser obrigada a pagar indenizações. Segundo Ministério público, consumidor deve cobrar multa por atraso na entrega. 
Clique aqui para ver a o link.

2 de set de 2011

MP pede multa contra publicidade enganosa de apartamento


Empresa diz pagar 100% em caso de recompra de imóvel no Jardim Nova Aliança, zona Sul de Ribeirão Preto

Matéria na integra

1 de set de 2011

Projeto acaba com tolerância para construtoras na entrega de imóvel



Tramita na Câmara o Projeto de Lei 178/11, do deputado Eli Correa Filho (DEM-SP), que torna nulas as cláusulas contratuais que instituírem tolerância para atraso na entrega de imóvel. A proposta altera a Lei do Condomínio (Lei 4591/64). Segundo o texto, em caso de atraso a construtora terá de pagar ao comprador multa correspondente a 2% do valor do contrato . A multa deverá ser atualizada monetariamente e acrescida de juros de 1% ao mês, até a data da efetiva entrega do imóvel.

A construtora ou empreendedora também ficará sujeita, em caso de atraso, a multa administrativa mensal no valor de 0,5% do valor total do empreendimento, a ser aplicada pelos Procons estaduais. Os recursos deverão ser aplicados em programas de proteção e defesa do consumidor.

Multa ao consumidor
Eli Filho afirma que, atualmente, embora os contratos prevejam obrigações para ambas as partes - comprador e vendedor -, as construtoras têm mais benefícios. Enquanto o comprador paga multas se descumprir prazos de pagamento, os responsáveis pelos empreendimentos têm prazo de até 180 dias para entregar o imóvel.

De acordo com o deputado, as empreendedoras argumentam que esse prazo é estabelecido em razão de ocorrências imprevistas (chuvas, por exemplo) que podem comprometer o andamento das obras. O parlamentar argumenta, no entanto, que o consumidor também está sujeito a imprevistos que podem comprometer sua pontualidade no cumprimento de obrigações do contrato. Ele lembra que, apesar disso, não há tolerância prevista nesses casos.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Urbano; de Defesa do Consumidor; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem - Maria Neves
Edição - Newton Araújo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'

30 de ago de 2011

Encheção de saco





cachorro = Empresa, gato = Cliente.

24 de ago de 2011

PORTARIA Nº 236, DE 2 DE JUNHO DE 2011


Foi publicado ontem dia 23/08/2011 no diário oficial o processo administrativo já citado aqui anteriormente.
Qualquer outra novidade, possitiva ou não postarei aqui no blog.

PR-SP 36388/2011. Procedimento Administrativo nº 1.34.001.008970/2010-90.
O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pela Procuradora da República infra-assinada, no exercício das atribuições constitucionais conferidas pelo art. 129 da Constituição da República, e:
Considerando o rol de atribuições do Ministério Público elencadas nos arts. 127 e 129 da Constituição Federal, bem como o previsto no art. 6º, VII, b, e art. 7º, inciso I, da Lei Complementar 75/93;
Considerando que o objeto do presente procedimento se insere no rol de atribuições do Ministério Público Federal, assim como o disposto na Resolução nº 87, de 06 de abril de 2010, do Conselho Superior do Ministério Público Federal;
  Considerando que a Caixa Econômica Federal é empresa pública federal e, portanto, se insere no rol do art. 109, inciso I da Constituição da República, o que atrai a atribuição deste Parquet;
Considerando que o presente procedimento foi instaurado a partir de representação virtual, e recebido neste gabinete aos dias 11/01/2011, em razão da reestruturação desta PR/SP;
Considerando o conteúdo das alegações contidas no presente presente procedimento, que revelam necessária atuação desse órgão ministerial;
Instauro o presente INQUÉRITO CIVIL, tendo por objeto, nos termos do art. 4º da Resolução 23/2007 do CNMP, a apuração do(s) fato(s) abaixo especificado(s):
RESUMO: CONSUMIDOR. "Caixa Econômica Federal. Cobrança de taxa de correção monetária e ajuste pela CEF. Cobrança de taxa denominada 'CM Repasse na planta' pela Constutora Goldfarb. Possível duplicidade na cobrança de taxas."
Autue-se a presente portaria e o procedimento administrativo que a acompanha como Inquérito Civil.
Controle-se o respectivo prazo (art. 9º da Resolução nº 23/07 do Conselho Nacional do Ministério Público);
Após os registros de praxe, publique-se e comunique-se esta instauração à 3ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, para os fins previstos nos arts. 4º, IV, e 7º, § 2º, I e II, da Resolução nº 23/2007 do Conselho Nacional do Ministério Público.
CRISTINA MARELIM VIANNA